quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Como te Amo

"Te amo sem saber como, nem quando, nem onde.
Te amo diretamente sem problemas nem orgulho;
Assim te amo porque não sei amar de outra maneira"

Cem sonetos de Amor - Pablo Neruda

sábado, 8 de novembro de 2014

Combinação

Então está combinado,
Eu passo por você e falo Oi,
E você promete apenas me sorrir.

Vamos limitar nossa amizade ao máximo
Que nos permitimos possuir:
uma suave lembrança do que outrora foi
a esperança de mais um amigo.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Apenas Ovelhas

Lembrando de um trecho do poema de Gregório de Matos:
"Eu sou, Senhor, a ovelha desgarrada
Cobrai-a, e não queirais, Pastor divino,
Perder na vossa ovelha a vossa glória"
Essa eleição deixou por aí muitas ovelhas desgarradas.
Por certo, 48, 52% de todo o rebanho e, talvez, mais de 80% das ovelhas produtivas.
É preciso olhar para esse rebanho, e que o pastor (ou pastora) não se perca em outro foco que não o de preservar todo o rebanho.

Porque essa é a missão precípua de todo pastor: cuidar do rebanho. Saber de suas necessidades e dar a essas necessidades o devido acolhimento.
Muito mais do que soberano das ovelhas, o pastor é seu funcionário.
Sem a unidade, não há pastor, não há rebanho. Apenas ovelhas.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

A alguns passos do Paraíso

Eu a acho graciosa.
Isso mesmo, essa é a palavra certa, Graciosa.

Adoro vê-la andar à minha frente ou quando vem em minha direção.
Ensaio uma frase de bom dia mas só consigo sorrir.
Não quero perturbá-la com "ois" ou "olás".
Quero apenas vê-la andar.

Sei o que sentiu Tristão ao ver Isolda.
Sei a emoção de ter devaneios de amor e conquista.
Mas sei a importância de a ter distante.

Enquanto nada acontece, tenho o Sim e o Não.
Fantasio sua condição, sua disponibilidade, sua aceitação de mim.
A dúvida me permite sonhar enquanto a realidade é sempre cruel.
Pode trazer um Sim que acelera o querer, ou um Não que o mata de vez.

Uma mulher vale pelo que provoca.
Pelo desejo que invoca, pelos sonhos que nos faz sonhar.
Por que acelerar esse momento? Transformar o desejo em posse?
A posse mata o amor.

Ela é a melhor parte do meu dia.
Minha fuga quando os aborrecimentos me cercam de todos os lados.
Fecho os olhos e a vejo andar, e me alegro de novo. Sorrio.

Tem dias que a vejo, outros não.
Então não é sempre que me alegro,
Mas isso não me impede de imaginar que irei vê-la.
E me contento com meu desejo.

Um dia a vi sorrir em minha direção.
E tomei posse daquele sorriso como se fosse meu, como se fosse para mim.
Ninguém mais estava ali a merecer um sorriso seu, então ele era meu por direito.
Era a retribuição a todas as frases não ditas, aos meus sorrisos de encantamento.

Tudo parece um sonho, e talvez o seja.
Não sei o seu nome ou endereço.
Sei o que sabe meu coração
Que ela é prá mim, Graciosa.


quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Menos da metade dos meus 130 anos


Hoje foi um dia atribulado. O que parecia ser um dia tranquilo, de chinelo de dedo e bermuda, acabou exigindo calça jeans e bota, reuniões e trocas de emails. Com isso demorei para entrar no FACE e quando entro, um monte de parabéns dos meus amigos. 
Curti todos!!! 
E a cada novo nome que aparecia, renascia em mim o melhor de nossa história, e eu revivi vários momentos de várias amizades, enquanto ia curtindo as felicitações.


Estou cada dia mais feliz de ter nascido e vivido. Vejo meus dias passados com uma felicidade imensa, e meus dias futuros com esperança e desejo de os viver na plenitude. Adoro a vida.

Agora ainda mais, na expectativa da chegada de Alice. Quero olhá-la nos olhos e dizer, BENVINDA!!! Aqui é um ótimo lugar para se Ser Feliz.


Nesse ano, até que enfim, resolvi um dos maiores problemas que todos nós temos quando já se faz necessário um extintor por perto na hora de acender as velinhas.Um Segredo que vou revelar aos amigos: - Passei a adotar o critério de que vou viver até os 130 anos.

Com base nesse novo critério, não cheguei nem na metade do que tenho para viver. 
Estou, por assim dizer, na média idade. Então, faço planos e mais planos, vivo novas e boas coisas, pesquiso novidades, curto novas atividades - mantendo as que mais gosto e deixando de lado umas para dar espaço a outras. 
Me renovo no meu jeito de viver e pensar. 
Se vou mesmo viver até os 130 anos? Na verdade verdadeira mesmo, nenhum de nós sabe se chega até o final de semana. Não é isso que importa. 

O que importa - e foi o que todos esses anos me ensinaram - são os planos, os projetos, os desejos, os afetos, os momentos de olhos irrequietos, amando, olhando, buscando, desejando e admirando esse belo mundo.


quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Partir

Andei pensando sobre as malas que levamos em nossas viagens. 
Elas são expressões de nossos medos, nossas inseguranças. 
Tudo o que se leva, está diretamente ligado ao medo de necessitar. 

Partir é experiência inevitável de sofrer ausência, nisso mora o encanto da viagem.

Viajar é descobrir um mundo que não temos, é o tempo de sofrer a ausência que nos ajuda a mensurar o valor do mundo que nos pertence.

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

A Estrada que encontrei

Não procuro destinos. Minha liberdade é o caminho.
Não procuro respostas. Me bastam o questionamento, a pergunta.
Não quero desvios ou atalhos. Me contento com a estrada tal qual a mereci encontrar.
Se é chuva ou vento, se é calor ou frio, não importa.
Me importa mais o caminho.
 
BlogBlogs.Com.Br