segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Da Relavitidade de Tudo

Descobri várias coisas pela vida. 
Tenho marcas de muitos dos aprendizados.
Dores de perda, dores de arrependimentos.
Partidas antes da hora, precipitadas. Encontros indevidos.

Descobri várias coisas pela vida.
Mas a maior descoberta, a que mais me marcou, é saber que,
Na verdade, o tempo não passa.... Nós é que passamos.

domingo, 25 de setembro de 2016

Conversas Mudas

Tenho muita coisa a lhe dizer. A noite, embalado pela insônia me pego a pensar em nós dois. O quanto sou feliz ao seu lado, o quanto a admiro.
Corro a mão por seu corpo de uma forma bem suave, quase mentalmente. Já chega um de nós estar acordado.
Me prometo dizer tudo pela manhã. Procuro dormir.
De manhã, a rotina nos engole. Já estamos atrasados. Não cabe essa conversa.
Passam-se os dias e eu vou nas minhas  insônias, tendo essas conversas mudas com você.

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Será????

"Tire suas mãos de mim, eu não pertenço a você.
Não é me dominando assim que você vai me entender.
Posso estar sozinho, mas eu sei muito bem aonde estou.
Você pode até duvidar, mas acho que isso não é amor.


Nos perderemos entre monstros da nossa própria criação?

Serão noites inteiras. 
Talvez por medo da escuridão ficaremos acordados,
 imaginando uma solução prá que nosso egoísmo não destrua nosso coração.


Será só imaginação?

Será que nada vai acontecer?
Será que tudo isso foi em vão?
Será que vamos conseguir vencer?"


(Será - Legião Urbana)

terça-feira, 3 de maio de 2016

Da Incrível Arte de Ser Convidado


Muito se fala na necessidade de vencermos na vida
De estarmos na frente de combate, de lutarmos por uma causa.
De não sermos omissos e nos posicionarmos firmemente.

Incrível isso. Também acho incrível.

Mas tem uma outra arte a ser compreendida e valorada.
A Arte de Servir e a Arte de Ser Convidado.

Da Arte de Servir já falaram muitos. O tema é base de fé de muitas religiões.

Mas, e da Arte de Ser Convidado, hem? Quanto já ouvimos falar?

Primeiro é preciso entender. O que se quer dizer por “Ser Convidado”?
Esclarecendo, não tem nada a ver com “como conseguir ser chamado para algo”.

Ser Convidado é estar em algum lugar sem o direito de impor critérios ou parâmetros.
É Estar sem Ser. É saber conviver com o “status quo” ou mesmo dele fazer proveito sem estar nele de fato.
Quer um dito popular? “Sapo de fora não chia”.
Pronto, está explicado o termo. Mas qual a Arte em “Ser Convidado”?

Saber entender valores e saber se portar segundo eles.
Se você está ali e PRECISA estar ali, entenda sua necessidade e saiba se portar segundo ela. Vai reclamar de quê? Vai questionar o quê?
Entenda que você PRECISA estar ali. Você é PASSIVO na relação e já está bom demais PERMITIREM que ali você esteja.
ORGULHO? VAIDADE? VALORES? Esquece isso. Sua NECESSIDADE é maior que tudo isso.
FIQUE ALI E PRONTO.
Mas “Ser Convidado” ou se portar como tal não é algo singular. Algo de uma única faceta. (Eu disse que o tema era uma Arte e, por isso, complexa).

Você pode estar alí por VONTADE, por QUERÊNCIA.
Algum valor o colocou ali e ali você permanecerá, até que esse valor se dissolva, se acabe.
Você não está ali porque CONQUISTOU O DIREITO DE ESTAR ALI. Isso não existe em algumas situações.
É fácil, como JÚLIO CÉSAR, dizer: VIM, VI,  VENCI,  em se tratando de uma batalha tal como Zela.
Mas isso não é SER CONVIDADO. Pode ser uma Arte, mas sem sutilezas. Uma Arte da Guerra, na verdade.
A ARTE DE SER CONVIDADO  é estar em sintonia consigo e com seus valores. Deixar que as coisas aconteçam sem interferir no modo como elas acontecem.

Sem se importar? Claro que não. 
Mas sem impor. Estar alí até que o dia termine, até que a noite aconteça, até que tudo se acabe, até que nada mais floresça. 
Estar ali até que o valor de estar ali se perca.



quinta-feira, 21 de abril de 2016

Nunca aos Domingos

O título não é original. Roubei de um filme NEVER ON SUNDAY.
O texto não tem nada com o filme. Nenhuma conexão, só coincidência.

Tenho postado coisas QUASE no momento em que acontecem. 

As vezes o sentimento demora a virar letra, outras vezes vira logo, num rápido espasmo.
Mas mesmo assim, me atraso no postar. 
Não quero que a leitura me devolva o sentimento que, tendo virado escrita, não deveria voltar a ser sentimento. Pelo menos para mim.

Claro, vai ser sentimento para os outros, para quem ler, 

para quem das letras fizer abrigo no coração.
Vai sentir quem tiver que sentir. 
Letras não movimentam sentimentos se lágrimas já não o fizeram antes.

Para mim, já foram lágrimas, já foram dores. Ao final, viraram letras.


Sempre acontece assim... mas nunca aos domingos.

Porque domingos não foram feitos para doer.

 
BlogBlogs.Com.Br