segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

A VIDA POR UMA FRESTA

Pelos seus pequenos descuidos vejo a sua vida.
Não é uma janela aberta, apenas uma fresta.
Pequenos deslizes que deixam entrar narrativas e paisagens.

Talvez tenha sido descuido, talvez tenha sido para eu ver.
São pequenas frestas, nada grande ou informativo.

São pequenas informações, como calcanhares de donzelas,
que nos fazem imaginar todo o resto. E assim ouso fazer.

Imagino as duas filhas, o final de semana no parque, a ida para a escola, a luta para criar e educar. 

Não é um papel que eu imaginaria para você. 
Não que você não tivesse ternura para tanto. Sei que tem.
É que seu barco nunca se dirigiu para esse porto. Sei lá....

É apenas uma percepção a partir de uma pequena fresta, 
de um descuido.
Talvez de uma aviso do tipo "Viu? Eu sou assim".

Mas segue a vida, e eu continuo atento aos descuidos.


0 COMENTÁRIOS (Clique e Faça o Seu):

 
BlogBlogs.Com.Br